Página 1 de 1

Allan Kardec: O Codificador

MensagemEnviado: Dom Set 24, 2006 2:39 pm
por donizetepinheiro
Allan Kardec, cujo verdadeiro nome é Hippolyte Léon Denizard Rivail, nasceu na cidade de Lião ( França), a 3 de outubro de 1804, sendo seus pais Jean-Baptiste Antoine Rivail, magistrado, e Jeanne Louise Duhamel.

Realizou seus primeiros estudos na cidade natal e os completou no Instituto de Educação Pestalozzi, situado no Castelo Zähringen, em Yverdun, na Suíça, para onde foi aos 10 anos de idade. Um dos discípulos mais fervorosos, destacou-se por sua inteligência e alto espírito de observação, tornando-se colaborador direto do mestre Pestalozzi. Aos catorze anos, Rivail já mantinha cursos particulares ensinando seus colegas menos adiantados.

Concluídos os estudos, retornou à França e se estabeleceu em Paris, onde fundou uma escola técnica, nos mesmos moldes do Instituto Pestalozzi. Em 06 de fevereiro de 1832 casou-se com Amélie Grabielle Boudet, professora primária, que foi sua direta colaboradora na missão de ensinar. Em 1935, por problemas financeiros, fechou a escola e passou a trabalhar como contador de firmas, e a fazer traduções para o inglês e o alemão. Nas horas vagas, organizou cursos gratuitos de química, física, astronomia e anatomia comparada.

A par disso, escrevia livros pedagógicos, sobre gramáticas e aritméticas, tendo publicado diversas obras, algumas delas adotadas pela Universidade de França. Posteriormente, lecionou no Liceu Polimático, nas cadeiras de Filosofia, Astronomia, Química e Física.

Por volta de 1854, a partir de informações sobre as mesas girantes, o Professor Rivail passou a estudar esses fenômenos, dando início à codificação da Doutrina Espírita – os ensinos dos Espíritos Superiores, publicando as obras básicas com o pseudônimo de Allan Kardec, seu nome em uma reencarnação no tempo dos Druidas, antepassados dos franceses.

Além das obras básicas, publicou diversos opúsculos sobre Espiritismo, fundou a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e manteve a Revista Espírita, de edição mensal.

Desencarnou em 31 de março de 1869, vitimado por fulminante ruptura de um aneurisma cerebral.